notícias

Federação Sul-Americana de Golfe mostra Andrey como melhor amador do continente

25/03/2021

Cumprindo o que já havia anunciado, a Federação Sul-Americana de Golfe lançou nesta quarta-feira seu ranking com os melhores amadores do continente, trazendo o gaúcho Andrey Xavier no topo da lista. Uma maneira louvável de valorizar os melhores golfistas amadores da América do Sul e de se manter no noticiário uma época sem eventos, mas que na verdade não passa de um subgrupo do ranking mundial amador de golfe (WAGR), atualizado semanalmente, às quartas-feiras, o que, aliás, a entidade não esconde.

Para Andrey não poderia haver melhor momento para o lançamento desse ranking. Sem poder disputar qualquer torneio válido para o WAGR há mais de um ano – o último foi o Honda Open – Campeonato Bandeirantes, em meados de março de 2020 – Andrey assumiu o posto de primeiro sul-americano do ranking apenas na semana passada (semana 10 de 2021), quando apareceu 77ª colocação e isso ao completar 12 meses sem competir ou pontuar. Essa e outras distorções acontecem porque o WAGR é calculado sem ponderar os eventos e sem impor um divisor mínimo.

Ascenção – Andrey chegou nesta quarta-feira (semana 11 de 2021) ao 73º lugar do WAGR, sua melhor posição desde que ingressou na lista, no final de 2017, ao vencer o Circuito Extremo Sul. O brasileiro é agora o melhor sul-americano do WAGR e da Federação Sul-Americana, com média de 874,42 pontos, mas apenas uma colocação à frente do argentino Abel Gallegos, 74º da lista, com média de 874,38. Gallegos ganhou 33 postos nesta última semana, por ter vencido um forte torneio amador dos EUA, o Azaleia, na Carolina do Norte, na semana anterior.

Gallegos foi o campeão do Latin America Amateur Championship (LAAC), em janeiro de 2020, no México, e com isso pode jogar o US Amateur Championship, em agosto passado, e o Masters, em novembro, onde mesmo não passando o corte ganhou tantos pontos quando no Azalea. Gallegos disputou oito torneios desde março de 2020, todos nos EUA. Em 2021, Abel já jogou três torneios naquele país, com o Azalea.

Gallegos tem boas chances de ganhar posições nas próximas semanas, podendo ultrapassar Andrey brevemente. Isso também vale para os demais Top 5 do ranking sul-americano: o também argentino Mateo Fernandez de Oliveira (86º do ranking mundial), campeão do Azalea de 2020, que também está jogando nos EUA e competiu em quatro torneios do WAGR em 2021; o peruano Julian Perico (95º), que defende a Universidade de Arkansas na NCAA; e o chileno Gabriel Morgan Birke (102º), que jogou apenas dois torneios na pandemia, um deles o Aberto do Chile, em novembro passado .

Santa Mônica – Outra boa notícia para Andrey é que a partir deste ano ele passou a defender o Santa Maria Golfe Clube (SMGC), em Santa Maria, cidade da região central do Rio Grande do Sul, a 300 km de Porto Alegre. Lá, Andrey passou a ter sua carreira gerida por uma equipe multidisciplinar que conta com médico, fisioterapeuta, psicólogo, personal trainer e professor de línguas. Uma forma de seu grande talento não ser desperdiçado nesses tempos de pandemia e prepará-lo para voos mais altos.

Fabio Prates, ex-vice presidente da Federação Rio-Grandense de Golfe e hoje presidente do Santa Maria GC conta que Andrey Xavier foi convidado para o Santa Maria neste ano, para lhe permitir uma preparação integral. “Vamos ajudar a prepará-lo como cidadão, com um sistema muito rígido de respeito aos treinamentos e hierarquias, que acreditamos ser o que fará o diferencial na evolução dele como pessoa e atleta, a ponto de representar o Brasil em breve em altíssimo nível”, conta Fabio Prates.

Fonte: O Portal Brasileiro do Golf