notícias

PGA Tour LA: Rodrigo Lee será o único brasileiro jogando etapa de Quito, esta semana

02/10/2019

Restando apenas cinco torneios da temporada regular e o Shell Championship – torneio final do PGA Tour Latinoamérica, restrito aos 60 primeiros do ranking de prêmios – para a definição dos cinco jogadores que ascenderão ao Korn Ferry Tour (KFT), o circuito de acesso ao PGA Tour, em 2020, Rodrigo Lee será o único brasileiro participando o Banco del Pacífico Open apresentado pela Prefeitura de Quito, de quinta a domingo, 3 a 6 de outubro, no Quito Tenis y Golf Club, no Equador, campo de par 72 (36-36) e 7.356 jardas.

Alexandre Rocha e Rafa Becker, que são membros do PGA Tour LA, e Felipe Navarro, que conquistou o direito de jogar no Equador ao ser Top 20 no Aberto do Brasil, encerrado domingo, não se inscreveram para o torneio. Rocha é o 13º do ranking de prêmios, com US$ 38 mil, e Rodrigo Lee o 16º, com US$ 31,2 mil ganhos. Becker, que passou quatro meses no KFT e jogou apenas seis dos 10 torneios de 2019, está em 31º, com US$ 16,9 mil. Para ser Top 5 e estar na faixa de classificação para o KFT é preciso ter hoje ao menos US$ 50,7 mil em prêmios.

Rodrigo pode chegar aos Top 5 do ranking do PGA Tour KA com uma vitória em Quito (US$ 31,5 mil da bolsa total de US$ 175 mil). Rocha também poderia se estivesse lá. Becker chegaria perto. Rodrigo não começou o ano bem, não passou o corte em cinco dos dez torneios da temporada, mas não desistiu e reagiu com três Top 10 nos últimos quatro torneios: 4º no Aberto Mexicano, vice-campeão do Bupa Match Play e 7º no Aberto do Brasil. Em nove anos no PGA Tour LA, nunca esteve tão perto de subir para a segunda divisão do PGA Tour.

Favoritos – Rodrigo vai enfrentar esta semana outros 18 dos Top 20 do ranking, incluindo o chileno Horacio León, que defende o título, e o argentino Augusto Núñez, nº 1 do PGA Tour LA, com US$ 68,2 mil ganhos, e disparado o melhor jogador do circuito na temporada. Núñez passou o corte em nove dos 10 torneios, teve seis Top 10s, jogou 28 rodadas abaixo do par, 24 delas na casa das 60 tacadas, somou 84 abaixo nos pares 5 e tem a melhor média de tacadas do PGA Tour LA 2019, com 68,53 por volta. O curioso é que o argentino é líder do ranking sem vencer nenhum torneio da temporada.

Com seu segundo lugar no São Paulo Golf Club Championship (pelo segundo ano consecutivo) e sétimo lugar no Aberto do Brasil, nas duas semana anteriores, Núñez tornou-se o maior ganhador da história do PGA Tour LA, com US$ 301,3 mil em 88 torneios, superando o mexicano José de Jesús “El Camarón” Rodríguez, que amealhou US$ 299,6 mil, só que em apenas 53 torneios. Rodríguez passou para o KFT, em 2018, e para o PGA Tour, em 2019. Perdeu o cartão e está de volta ao KFT.

Os 117 jogadores de 19 países em campo esta semana terão como maior desafio a altitude – Quito está a 2.850 metros acima do nível do mar – o que faz deste o torneio do PGA Tour LA com o campo mais alto do calendário. A menor densidade do ar faz as bolas voarem de 10 a 12% mais do que muitos estão acostumados, exigindo um ajuste drástico na escolha dos tacos. Fora isso o tempo é bastante instável, com grandes variações de temperatura e velocidade do vento.

Fonte: O Portal Brasileiro do Golfe